Esparsos

Do caderno 17 C 2:

“,,, depois a noite e o silêncio. Unicamente essas expectativas para esse futuro incerto. Futuro de lutador que abandonou a luta há muito tempo, que abandonou o sorriso farto e solto, de ser que conhece a realidade e, de certa forma, desceu aos infernos e voltou. (…) verdade que não reafirma quem é como não reafirma “verdades” dessa vida brejeira, vida ordinária que corre tranquila como uma riacho virgem. Não ter nada e não lamentar. …. porque esse lamento é o do crente, do que espera respostas como um  Sísifo às avessas. Não existem respostas. …. exclusivamente o tempo a correr frente a frente, de forma livre, independente e liberta de ações. Não ser, portanto, mais um jogador. Não tentar interferir no movimento da Terra ou no dos astros. Basta a Estrela Guia. Movimentem-se pois à revelia, já que à  revelia tudo se deu: nascimento e morte. Força e fraqueza. Fim das esperanças pueris. (…) Desconhecer céus e terra, seus símbolos e lendas contadas de forma oblíqua deixados em documentos esparsos através dos tempos em que se acreditava nas empreitadas (…)

Anúncios

0 Responses to “Esparsos”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Ela…

Ela...

Trocas

e-mail



Mini blog



"A descoberta do Prozac criou um universo de eunucos felizes"

"É-nos impossível saber com segurança se Deus existe ou não existe. Por isso, só nos resta apostar. Se apostarmos que Deus não existe e ele existir, adeus vida eterna, Alô, danação! Se apostarmos que Deus existe e ele não existir, não faz a menor diferença, ficamos num zero a zero metafísico" Albert Camus

Visite:
wwwgeraldoiglesias.blogspot.com

""Deve-se ler pouco e reler muito. Há uns poucos livros totais, três ou quatro, que nos salvam ou que nos perdem. É preciso relê-los, sempre e sempre, com obtusa pertinácia. E, no entanto, o leitor se desgasta, se esvai, em milhares de livros mais áridos do que três desertos."
Nelson Rodrigues

Do que se gosta?

  • Nenhum

Tempo…

julho 2009
S T Q Q S S D
« jun   ago »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

%d blogueiros gostam disto: