O Amador

Olha, por concordar absolutamente com a tese de Andrew Keen, eu acho que todo mundo que se fia na internet deveria ler o seu livro.

Principalmente os tais “Blogueiros”!

Principalmente ainda mais os tais blogueiros que se dizem ácidos, criticos e toda essa bobajada “jekinha” (ou jequinha). Pessoas que usam seus próprios sites para se auto promoverem, para fazerem campanha política e ideológica, bem como perseguição ferrenha tentando mexer ou desestabilizar o leitor (por sabê-lo tolo e tonto).

Trata-se de um livrinho simples, chamado “O CULTO DO AMADOR” – Zahar Editores. Ler não cansa, mas pode doer.

Anúncios

1 Response to “O Amador”


  1. 1 Cecília 26/05/2009 às 16:02

    Olá, tudo bem? Sou a Cecília e trabalho na Edelman, agência de comunicação da Jorge Zahar Editor. Gostaria de convidar-lhe para um chat online com o Andrew Keen, autor do livro “O Culto do Amador”, nesta sexta, dia 29/05. Vai ser uma boa oportunidade de interagir com o autor e conhecer melhor suas ideias.
    Mais informações aqui : http://www.talk2.com.br/?p=596
    Um abraço!


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Ela…

Ela...

Trocas

e-mail



Mini blog



"A descoberta do Prozac criou um universo de eunucos felizes"

"É-nos impossível saber com segurança se Deus existe ou não existe. Por isso, só nos resta apostar. Se apostarmos que Deus não existe e ele existir, adeus vida eterna, Alô, danação! Se apostarmos que Deus existe e ele não existir, não faz a menor diferença, ficamos num zero a zero metafísico" Albert Camus

Visite:
wwwgeraldoiglesias.blogspot.com

""Deve-se ler pouco e reler muito. Há uns poucos livros totais, três ou quatro, que nos salvam ou que nos perdem. É preciso relê-los, sempre e sempre, com obtusa pertinácia. E, no entanto, o leitor se desgasta, se esvai, em milhares de livros mais áridos do que três desertos."
Nelson Rodrigues

Do que se gosta?

  • Nenhum

Tempo…

abril 2009
S T Q Q S S D
« mar   maio »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

%d blogueiros gostam disto: