Porque pessoas escrevem ou Por que pessoas escrevem?

Determinados dias, diminuo minha leitura de livros e dedico-me aos blogs. Muitos são interessantes e outros tantos, chatérrimos. Minha opinião. Tem gente que deve adorar os que acho chatos e vice e versa. Não tem padrão. O que tem é um monte de gente escrevendo quase diariamente (ou mais um uma vez ao dia) aquilo que está pensando ou aquilo que gostaria estar pensando. Tanto faz. Fala-se muito, teoriza-se sobre pessoas que simplesmente estão disponibilizando emoções (ou a falta de).

Quero estar bem distante dessa turma, dessa gente que fica filosofando sobre o porquê pessoas gostam de contar coisas, de escrever por necessidade ou simplesmente por escrever. Esses detalhes não me interessam em nada. E nem deveriam interessar a ninguém. O blog, assim como a literatura e outras manifestações, não deveria se prestar a análises acadêmicas, devíamos apenas saboreá-los ou os deixarmos de lado. Não interessa a análise que fazem do que escrevo. Escrevo por escrever, simplesmente. Escrevo em blog, em blocos, em cadernos (muitos)… enfim, gosto de contar o que estou vivenciando e sentindo (ainda que muitas vezes não seja politicamente correto). Nada disso me interessa. Se soubesse, talvez em desenhasse ao invés de escrever… ou preferisse fazer uma sopa, sei lá. Ou dormir, quem sabe? Tudo o que é colocado aqui tem uma importância enorme e, ao mesmo tempo, não tem importância nenhuma! Não sou um escritor, sou um escrevinhador. Em momento nenhum busco cadência nas palavras, nas frases. Em momento nenhum acho que há qualquer erudição por aqui (nem por ali). O que existe de fato (em mim e nas pessoas que escrevem) é um “transbordamento” de emoções, de impressões colhidas nas coisas do dia a dia. Nada mais do que isso. Simples assim.

Anúncios

3 Responses to “Porque pessoas escrevem ou Por que pessoas escrevem?”


  1. 1 Rita Carneiro 04/01/2009 às 21:47

    É isso aí, apoiada…também acho…já tenho mais de 40 anos e minhas próprias opiniões sobre as pessoas e as coisas.
    Mudo de opinião sobre tudo o tempo todo, quando me deparo com a realidade em que elas acontecem. Bjo

  2. 2 Amèlie 24/07/2008 às 18:41

    Olá, G.

    ” transbordamento” de emoções.

    É mais pura verdade, traduz tudo!

    Beijos

  3. 3 mara 23/07/2008 às 16:12

    G, assim a maioria parasse de criticar ou querer traçar o “certo/errado” nos blogs alheios.

    Penso exatamente assim: se escrevo ou não (o não é mentirinha pois sempre estou escrevendo seja no caderno, no blog, no pedacinho de guardanapo..), escrevo porque gosto, porque quero. E mais: não tenho compromisso com blog nem com ninguém, portanto tanto posso escrever uma montanha de abobrinhas como algo sério… (outra mentirinha, as coisas sérias geralmente ficam guardadas a sete chaves..rs)

    E não me importo o que estão pensando ou se vão deixar comentários ou não…

    Se for pra ter um blog pra me deixar maluca, tô fora! Quero continuar leve e solta do jeitinho que estou por lá!

    bjs

    Mara


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Ela…

Ela...

Trocas

e-mail



Mini blog



"A descoberta do Prozac criou um universo de eunucos felizes"

"É-nos impossível saber com segurança se Deus existe ou não existe. Por isso, só nos resta apostar. Se apostarmos que Deus não existe e ele existir, adeus vida eterna, Alô, danação! Se apostarmos que Deus existe e ele não existir, não faz a menor diferença, ficamos num zero a zero metafísico" Albert Camus

Visite:
wwwgeraldoiglesias.blogspot.com

""Deve-se ler pouco e reler muito. Há uns poucos livros totais, três ou quatro, que nos salvam ou que nos perdem. É preciso relê-los, sempre e sempre, com obtusa pertinácia. E, no entanto, o leitor se desgasta, se esvai, em milhares de livros mais áridos do que três desertos."
Nelson Rodrigues

Do que se gosta?

  • Nenhum

Tempo…

julho 2008
S T Q Q S S D
« jun   ago »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

%d blogueiros gostam disto: