Aventura da Televisão

A expectativa exagerada pode alterar o julgamento de uma obra. Ou seja: não se faz uma obra-prima todos os dias. A difícil tarefa de compor uma grade de programação diária num veículo veloz como a televisão expõe-nos à toda a sorte de agruras, de pequenos fracassos, de um sentimento constante de auto-crítica. Acho que é necessário ter em mente que televisão não é teatro nem cinema, em que os tempos são outros, que a exigência de metas cumpridas é completamente distinda de outros veículos. De uma certa forma, faz-se cinema na televisão (no sentido do audiovisual) sem as prerrogativas autorais, sem a pré produção do produto cinematográfico. Televisão é informação, provocação, é mexer com o indivíduo tornando-o parte ativa do processo e o produtor tem muito pouco tempo para elaborar tudo isso e agregar qualidade. Mas não se pode realizar nada sem qualidade e esse é o desafio de quem se aventura nesse meio.

Anúncios

1 Response to “Aventura da Televisão”


  1. 1 K. - incompletudes.wordpress.com 17/03/2008 às 23:29

    Ultimamente esse tem sido o problema não só da televisão, mas de praticamente todos os meios de comunicação. Eu que o diga!

    luta diária de qualidade e tempo (ou falta dele).

    beijo, sobreviva.


Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Ela…

Ela...

Trocas

e-mail



Mini blog



"A descoberta do Prozac criou um universo de eunucos felizes"

"É-nos impossível saber com segurança se Deus existe ou não existe. Por isso, só nos resta apostar. Se apostarmos que Deus não existe e ele existir, adeus vida eterna, Alô, danação! Se apostarmos que Deus existe e ele não existir, não faz a menor diferença, ficamos num zero a zero metafísico" Albert Camus

Visite:
wwwgeraldoiglesias.blogspot.com

""Deve-se ler pouco e reler muito. Há uns poucos livros totais, três ou quatro, que nos salvam ou que nos perdem. É preciso relê-los, sempre e sempre, com obtusa pertinácia. E, no entanto, o leitor se desgasta, se esvai, em milhares de livros mais áridos do que três desertos."
Nelson Rodrigues

Do que se gosta?

  • Nenhum

Tempo…

março 2008
S T Q Q S S D
« fev   abr »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

%d blogueiros gostam disto: